O Curso

O Bacharelado em Saúde Coletiva da UFRGS tem duração de 3.180 horas em créditos obrigatórios, além de créditos eletivos. O curso assumiu uma organização curricular inovadora, não se estrutura por disciplinas e nem por avaliação disciplinar, seu formato é de Unidades de Produção Pedagógica e de avaliação mediadora, cuja função é provocar o pensamento, construir saberes e mediar processos organizadores do pensamento.

A proposta curricular da graduação Saúde Coletiva contempla dois grandes eixos de formação, distribuídos em seis Unidades de Produção Pedagógica.

– Eixo 1: Planejamento, Gestão e Avaliação em Saúde;

– Eixo 2: Promoção, Vigilância e Educação da Saúde.

Os eixos formativos marcam uma opção da proposta da UFRGS em produzir iniciativas que abordem, na perspectiva da Saúde Coletiva, o tema do planejamento, gestão e avaliação, como recorte específico de atuação profissional, relacionado com a promoção, vigilância e educação da saúde. Dessa forma, são marcadas as competências e habilidades da saúde pública, assim como as referências teórico-práticas que constituem a sustentação de políticas e sistemas de saúde, como formação básica. Nesse sentido, os eixos propostos constituem-se em proposições teórico-politicas e filosóficas transversais aos conteúdos definidos nas Unidades de Produção Pedagógica.

O curso contempla também, o Estágio Curricular que se constitui por atividades prático-aplicativas de inserção do discente em espaços da atuação profissional sob supervisão direta de profissionais dos diferentes campos ocupacionais e orientação pelos professores do curso, somando 600 horas, sem tradução por créditos, mas distribuídas igualmente entre os dois grandes eixos de formação (Planejamento, Gestão e Avaliação em Saúde e Promoção, Vigilância e Educação da Saúde).

 

Objetivos do curso:

– Formar profissionais para analisar crítica e propositivamente as políticas de saúde com elevado padrão de qualidade e dentro dos princípios da ética e da bioética, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, a partir do contexto político- normativo do SUS, bem como para constituir condições para a implementação e avaliação dessas políticas;

– Formar analistas de políticas e sistemas de saúde (sanitaristas), adequados às demandas do Sistema Único de Saúde, fortalecendo a descentralização da gestão, a democratização do processo decisório, a integralidade da atenção à saúde e a participação popular no âmbito dos sistemas e serviços de saúde; Formar analistas de políticas e sistemas de saúde (sanitaristas) para uma prática integrada e contínua junto às instâncias do Sistema Único de Saúde, sendo capaz de desenvolver processos de planejamento, gestão e avaliação em saúde; Formar analistas de políticas e sistemas de saúde (sanitaristas) para atuar, direta ou indiretamente, pela promoção, vigilância e educação da saúde, individual e coletiva, garantindo atenção integral à saúde da população.

Anúncios