Onde estudar

nuvem saúde coletiva

No Brasil, são diversas as nomenclaturas existentes para esta formação, no nível da graduação. Não existe ainda um consenso, em nível nacional, sobre a titulação do Bacharel em Saúde Coletiva, tal como podemos observar no quadro abaixo:

Quadro 1. Instituição, nome do curso, objetivo principal da formação (quando disponível) e ano de início do curso

Instituição Nome do curso Objetivo principal da formação Ano de

início

Universidade Federal do Acre (UFAC) Saúde Coletiva Não encontrado. 2008
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Gestão em Sistemas e Serviços de Saúde Profissionalizar a gestão em saúde. O bacharel egresso é um generalista que inclui conhecimentos e práticas da Saúde Coletiva que articula os conhecimentos do campo da Saúde com as Ciências Humanas e as Ciências Sociais Aplicadas. 2008
Universidade de Brasília (UnB) Gestão em Saúde Melhorar o modelo gerencial, organizativo e operativo do sistema de saúde. 2008
Faculdade de Medicina do ABC (FM ABC) Gestão em Saúde Humana (Saúde Ambiental) Formar profissionais na área da Saúde Humana e Ambiental. 2008
Universidade Federal da Bahia (UFBA) Saúde Coletiva Formar profissionais em Saúde Coletiva com sólido conhecimento técnico científico e capazes de conhecer e intervir sobre os problemas e situações de saúde-doença, mais prevalentes do perfil epidemiológico nacional, com ênfase em sua região de atuação. 2009
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Saúde Coletiva Formar trabalhadores aptos a trabalhar em todos os níveis de gestão e de atenção à saúde, exercendo desta forma, atividades no campo da Saúde Coletiva com responsabilidades ética e legal, e com respeito às diversidades populacionais. 2009
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Gestão de Serviços de Saúde O objetivo do curso é formar bacharéis para atuar na gestão de sistema e serviços de saúde, de maneira inovadora, humanista e eticamente comprometida com as necessidades de saúde da população, por meio de ferramentas para identificar, diagnosticar e propor soluções criativas em áreas críticas, ampliando a capacidade de resposta dos serviços de saúde. 2009
Universidade Federal do Paraná (UFPR) Saúde Coletiva Consolidar e fortalecer o campo da saúde coletiva, por meio de uma concepção ampliada da saúde e de suas interfaces. 2009
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Saúde Coletiva Contribuir na definição de uma política inovadora, e contemporânea, de formação de profissionais com forte atuação no setor da saúde. Visa amparar o setor da saúde com a formação de um profissional demandado, mas inexistente no âmbito da graduação. Busca-se, de modo especial, a construção da integralidade e da interprofissionalidade nas atividades relacionadas às políticas, ações, planos, programas, serviços, sistemas e redes de saúde. 2009
Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Gestão em Saúde

Ambiental

Formar profissionais para a análise, resolução e gestão de problemas relacionados à saúde humana, de forma criativa, ética e cidadã, comprometida com o respeito à vida, com especial compromisso com as questões que envolvem a saúde pública no país, capazes de atuar efetiva e eticamente e desempenhar funções de direção, planejamento, administração, gerência, supervisão, controle, auditoria, assessoria,

consultoria, pesquisa e avaliação de práticas nos sistemas, serviços e unidades de saúde públicas e privadas onde se realizem atividades de promoção da saúde e da qualidade de vida humana.

2010
Universidade de Brasília (UnB) Gestão em Saúde

Coletiva

Analisar as necessidades de saúde em geral e de grupos sociais específicos, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS) 2010
Universidade do Estado do Amazonas (UEA) Bacharel em Saúde Coletiva Formar profissionais com sólidos conhecimentos científicos e tecnológicos em Saúde Coletiva, visando à melhoria do modelo gerencial, organizativo e operativo do sistema de serviços de saúde, na capital e no interior do Estado do Amazonas 2012
Universidade Federal de Roraima (UFRR) Gestão em Saúde Indígena Coletiva Antecipar a formação de profissionais de saúde e contribuir para a construção e melhoria do Sistema Único de Saúde e do Subsistema de Saúde Indígena. 2012
Universidade de São Paulo (USP) Saúde Pública Formar um profissional com sólido conhecimento técnico científico, capaz de atuar efetiva e eticamente nos diferentes lócus de atuação que a saúde pública comporta. 2012
Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) Saúde Coletiva Formar profissionais com abordagem interdisciplinar, que privilegia a promoção da saúde e não somente no tratamento de doenças. 2012
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) Gestão em Saúde Formar gestor em saúde generalista com formação humanista, ético-filosófica, teórico-científica para o exercício da gestão estratégica em sistemas de saúde em todos os níveis de atenção, de âmbito local, municipal, regional, estadual e nacional, públicos e suplementares, com ênfase na visão sistêmica, atitude empreendedora e capacidade crítica e reflexiva de ação. 2013
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Saúde Coletiva Formar profissionais para atuar e desenvolver ferramentas estratégicas em todas as etapas do processo metodológico de gestão da saúde coletiva. 2013
Universidade de Pernambuco (UPE) Saúde Coletiva Formar o sanitarista, que tem a missão de promover a saúde e prevenir as doenças na população. 2013
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Saúde Coletiva Formar o profissional Graduado em Saúde Coletiva, visando atender as necessidades da saúde, com base nos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS). 2013
Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) Saúde Coletiva Formar profissional com excelência para atuação na área de Saúde Coletiva, com enfoque nas situações de saúde e nos sistemas de cuidado dos povos da Amazônia.

 

2014
Faculdade Associação Caruaruense de Ensino Superior (ASCES) Saúde Coletiva Formar Sanitarista, este profissional domina conhecimentos e habilidades específicas que não se resumem às Ciências Biológicas e da Saúde, mas igualmente capaz de identificar as necessidades sociais de saúde e de atuar como gestor de processos coletivos

de trabalho em saúde

Fonte: Adaptado de Silva e Costa (2015).

Esta diversificação na nomenclatura dos cursos decorre da própria complexidade do campo da Saúde Coletiva, que abriga múltiplos saberes e variadas práticas. Dessa forma, os cursos se adéquam a cada região do país e explicitam a própria pluralidade do campo da Saúde Coletiva.

 

Anúncios